Cientistas da Universidade Estadual Kabardino-Balkarian da Rússia afirmam ter inventado um novo material polimérico multifuncional que poderia ser usado para drones, próteses e robôs. Os custos de produção seriam baixos, tornando os polímeros disponíveis para o uso das impressões 3D.

Seja qual for sua opinião sobre Vladimir Putin, é difícil argumentar que o presidente russo não leva a sério o tema da defesa nacional.

Evidências desse fato foram esclarecidas em 2012, quando o presidente criou a Fundação para Projetos de Pesquisa Avançada (FPI), uma organização criada para promover pesquisas científicas que poderiam beneficiar a segurança nacional russa.

No momento do lançamento do FPI, o deputado e especialista em defesa de Putin, Dmitry Rogozin, disse que a fundação iria acabar com “20 anos de estagnação” na ciência militar russa. E embora possa ser cedo demais para avaliar esse objetivo, parte da pesquisa que está sendo realizada por cientistas apoiados pela FPI parece estar longe de estar estagnada.

Enquanto a pesquisa militar obviamente obtém prioridade máxima no FPI, a organização também supervisiona projetos que não são explicitamente orientados para a defesa, como o laboratório de polímeros progressivos na Universidade Estadual Kabardino-Balkarian em Nalchik.

Os plásticos avançados podem ser usados ​​para aplicações militares, é claro, mas também podem beneficiar muitas outras áreas da pesquisa científica. O pesquisador Svetlana Kashirova confirmou recentemente esse fato ao revelar alguns desenvolvimentos interessantes do laboratório que dizem respeito diretamente à impressão 3D.

De acordo com Kashirova, cientistas do laboratório desenvolveram um novo material polimérico multifuncional que é barato de produzir, fácil de manipular e que pode ser usado na impressão 3D de drones, próteses e robôs.

O chefe do laboratório revelou que o novo material está em desenvolvimento desde 2014, e poderia oferecer uma série de vantagens para os usuários de impressoras 3D, incluindo tempos de produção mais curtos, baixa deterioração e um alto nível de pureza material.

O Presidente Vladimir Putin autorizou a fundação do FPI em 2012 para avançar a tecnologia russa.

“Usando nosso material em impressão 3D, poderiam ser impressas essas próteses para características individuais de cada pessoa em particular”, disse Kashirova sobre o novo material de impressão 3D russo.

“Também pode ser usado para imprimir drones, exoesqueletos alimentados por energia elétrica, componentes de máquinas, peças complexas de dispositivos robóticos e elementos de traje espacial”.

Kashirova disse que o material de impressão 3D também tem um alto nível de inércia biológica, tornando-o adequado para uso em aplicações médicas.

“Os materiais são totalmente resistentes a reações químicas, fogo, calor e frio”, acrescentou o chefe do laboratório. “Eles poderiam ser usados ​​em ambientes com alta temperatura e níveis de exposição à radiação. É por isso que o uso do novo material é bastante amplo: a aviação e a indústria espacial, engenharia de máquinas, petróleo e gás, bem como outros.

Embora esse nível de detalhe dificilmente seja suficiente para nos entusiasmar com a perspectiva de um material de impressão em 3D que mude de jogo, é divertido saber que uma pequena fração dos recursos de defesa da Rússia está indo para melhorar a impressão 3D.

Fonte: 3ders.org

Você é apaixonado por tecnologia, impressão 3D e gosta de ficar atualizado sempre? Não perca seu tempo e acesse todas as notícias no nosso portal, curta nossa página no Facebook e nos siga no Twitter para receber todas as novidades em primeira mão. E compartilhe para aumentar a força do nosso portal.