Um dos melhores aspectos da tecnologia 3D é a potencialidade para inspirar a imaginação das pessoas, e quase diariamente vemos novos projetos que, não há muito tempo atrás, não teria possibilidade nem em pensamento. Mas foi só questão de tempo antes de vermos a tecnologia sendo usada para simular filmes de ficção científica, que é o caso que aconteceu na Rússia recentemente com o programador Alexander Osipovich que usou uma impressora 3D para construir um T-800 cyborg, com base no Exterminador do Futuro.

O T-800 é o antagonista do clássico da ficção científica de James Cameron de 1984, marcado pela memorável interpretação do ex-fisiculturista Arnold Schwarzenegger. Enquanto o filme foi um alerta vermelho para o que poderia acontecer se deixássemos a tecnologia ter força total, este projeto representa o potencial da impressora 3D para fazer das nossas ideias e fantasias malucas uma realidade. Ou pelo menos isto é o que representa por agora, como a replica do T-800 tem sido desenvolvida com um preocupante e impressionante nível de inteligência artificial que permite responder à comandos verbais e aprender coisas. Se as coisas saírem fora do controle, não será como se já não tivéssemos visto acontecendo.

Osipovich recebeu o esquemático para seu projeto pelo Google em 2013, (o que deve ter se referido como “Ano Zero” no futuro). Google estava promovendo DIY (Do It Yourself, faça você mesmo) de projetos impressos em 3D, e foi capaz de providenciar para ele com alta riqueza de detalhes o design, completo com os posicionamentos exatos dos atuadores que potencializariam seus movimentos. Isso tomou dele mais de quatro anos para produzir e montar todas as partes necessárias para criar essa incrível e precisa réplica. A mandíbula e olhos do robô são totalmente funcionais, movendo em sincronia com som emitido pela caixa de voz em um sotaque russo um tanto arrepiante. É assim capaz de responder realmente às perguntas que lhe são colocadas, através de uma combinação de software de reconhecimento vocal e software que permite a pesquisa online de palavras chave e frases.

O cérebro digital do T-800 foi inicialmente um programa que Osipovich começara trabalhar na faculdade, criando múltiplas diferentes versões em Visual Basic. Devido à uma paixão de criança pelo inovador filme de Cameron, ele eventualmente viu a possibilidade de criar um robô baseado no programa de inteligência artificial feito por ele, e por ter escrito exaustivamente para o Google solicitando informações sobre como poderia ser feito. Quatro anos e $3,500 mais tarde, seu modelo estava completo.

Devido aos recursos limitados , o T-800 está usando atualmente motores de um helicóptero de brinquedo controlados por controle remoto para mover partes de sua cabeça, pois estes não são potentes o suficiente para mover o restante do corpo. Isto significa que John Henry, como Osipovich tinha afetuosamente nomeado sua terrível criação, está confinado a uma cadeira de rodas, então falta para ele a imparável mobilidade que caracterizava Schwarzenegger nas telonas. É apenas temporário, contudo, o programador espera desenvolver um novo software que permitirá aos membros individuais do T-800 se movimentar de várias maneiras, e equipar ele com seus próprios atuadores que possibilitaram estes movimentos.

Seja o que for que aconteça no futuro, e por mais tempo que a humanidade pode ou não ter deixado, isto é definitivamente um encorajamento para ver impressoras 3D sendo usadas de forma criativa. Como para Osipovich, a ingenuidade que ele tem mostrado aqui e seu projeto em um estado não finalizado sugere que nós ainda não vimos seu último. Ele voltará.

 

Fonte: 3ders.org