esteirasOs equipamentos de ginástica Movement são líderes de mercado no Brasil e reconhecidos por sua excelência: conquistaram prêmios de design e de excelência técnica. Os produtos desenvolvidos no Brasil são, hoje, exportados para toda a América Latina e alguns mercados da Europa e da África. Ao longo de uma linha com dezenas de opções de cada família (esteiras, bicicletas spinning, estações de musculação, equipamentos elípticos), destaca-se a beleza e a funcionalidade dos produtos Movement. Isso é fruto da filosofia de trabalho dos engenheiros e designers da Brudden, a empresa responsável pelo desenvolvimento e fabricação dos produtos Movement: aliar excelência e simplicidade em seus produtos de modo a ajudar seus usuários a atingirem, com prazer, objetivos estéticos e de saúde.

90% dos protótipos são impressos na Objet30

A busca diária da Movement/Brudden pela perfeição passou a contar com o apoio da impressora 3D Stratasys Objet 30, fornecida pela SKA, parceira de negócios da Stratasys no Brasil.  “Hoje, 90% dos protótipos de novos equipamentos são impressos dentro de casa, com auxílio da tecnologia Stratasys”, observa Victor Xavier. Somente 10% dos protótipos ainda são realizados por meio de usinagem, serviço que é feito fora da Brudden, na instalação de terceiros. “Isso acontece quando o equipamento que estamos projetando tem dimensões muito grandes”, detalha Xavier. Todo o processo de contratação do serviço de usinagem de um protótipo em um terceiro leva 10 dias. “Se fizermos a construção do protótipo dentro de casa, usando a Objet30, levaremos dois dias para produzir um protótipo funcional, capaz de suportar vários testes”. Segundo o executivo, outro diferencial do uso da impressora Stratasys é o custo do protótipo. “O gerado na impressora é muito mais barato do que o produzido no centro de usinagem”.

A variedade de materiais digitais da linha Vero, para a impressora Objet30, permite, ainda, que os protótipos se aproximem bastante dos materiais industriais utilizados na fabricação propriamente dita. Tudo isso faz com que o protótipo seja usado pela equipe de Xavier em testes essenciais para validar os novos produtos. “É fundamental que, durante o processo de montagem dos vários componentes que formam, por exemplo, uma esteira, o ajuste entre duas peças seja ressaltado por um ‘clique’, um ruído bem específico que indica que os componentes estão montados da maneira correta”, detalha Xavier. “O protótipo impresso nos materiais Stratasys aproxima-se o suficiente do produto final para, durante testes de montagem feitos com o mockup, produzir o ‘clique’ que indica que tudo está correto com as medidas e as formas do componente da esteira em fase de desenvolvimento”. Se durante a montagem do protótipo impresso em 3D esse ‘clique’ não se fizer ouvir, é sinal que há necessidade de se corrigir o projeto.

impressora

Testes checam alinhamento com a norma BS EM 956

A extrema proximidade entre o corpo do ginasta e os equipamentos Movement e Perform traz outros desafios ao projeto. “Durante a fase de desenvolvimento de um novo produto temos de verificar o nível de atrito entre o equipamento e o corpo humano, de modo a checar se é necessário realizar alguma lubrificação, usar materiais protetores, etc.”, descreve Xavier. Os protótipos impressos na Objet30 permitem a realização de testes de ergonomia que ajudam a equipe de engenharia e design a consolidar o projeto de um novo produto. Isso é importante porque são fatores como esses que mantém os produtos Movement e Perform alinhados com a norma que rege o mercado global de equipamentos de ginástica – o BS EM 956, da Comunidade Europeia – garantindo a segurança e a saúde de quem utiliza os produtos da Brudden.

A obediência à norma BS EM 956 exige, ainda, que a equipe de Xavier realize testes sobre o fluxo de líquidos que, por acaso, se derramarem sobre o produto Movement ou Perform, além de testes de resistência à temperatura. O teste com líquido serve também para simular de que forma o equipamento reagirá ao contato com o suor do atleta. Para se chegar a uma resposta, pode-se derramar um pouco de água sobre, por exemplo, uma bicicleta spinning. “Essa água terá de percorrer um determinado caminho, de modo a não ficar presa dentro de locais que possam gerar odor ruim ou oxidação no equipamento – com o protótipo impresso em 3D, é possível fazer essa simulação”. Em relação aos testes de temperatura, a equipe de engenharia e design da Brudden também utiliza o protótipo realista impresso na Objet30. “Submetemos o protótipo a um determinado aquecimento e depois medimos as temperaturas aferidas em diversas partes do equipamento, de maneira a checar o comportamento dos materiais neste tipo de situação”.

 

ROI atingido um ano após a compra da impressora 3D 

1_0A decisão de comprar a impressora 3D visava conquistar mais agilidade e autonomia na fase de testes de novos produtos Movement/Brudden. “Pesquisamos vários fornecedores do mercado e escolhemos a Objet30 por ser um equipamento de porte adequado aos nossos projetos, que poderia ser instalado de forma simples dentro da própria área da engenharia”, detalha Xavier. “O planejamento de compra da impressora 3D foi feito de forma a conquistarmos o ROI (retorno sobre investimento) sobre essa compra em apenas 1 ano, o que de fato aconteceu”.

Para Xavier, é muito importante, além de levantar o custo e as características técnicas da impressora 3D – checando se a máquina escolhida realmente será capaz de produzir protótipos que suportem os diversos testes de validação de novos produtos – incluir no orçamento outras despesas ligadas ao uso desta tecnologia. “A impressora 3D não é um brinquedo e sua compra não deve ser analisada apenas pelo preço da máquina”, alerta. “É essencial incluir no planejamento da compra os custos recorrentes de aquisição de materiais de impressão e materiais de suporte à impressão”.

 

Conheça a linha completa de impressoras 3D da Stratasys e as suas aplicações e fique por dentro de outros cases de sucesso de empresas brasileiras.